domingo, 21 de fevereiro de 2010

Poeira e mais poeira


Então hoje consegui passar aqui e tirar um pouco do pó da casinha.

Marido tá se recuperando bem , mais a previsão do médico é de aproximadamente 3 meses para que que os ossos quebrados se consolidem .
Enquanto isso a reforma tá parada , ate pq o infeliz do pedreiro resolveu sumir e eu com tudo que tenho pra fazer e cuidar não vou ficar correndo atrás disso.
Modos que na minha opinião o que já tá atrasado que espere mais um pouco .
Só quero fazer um desabafo - incrível como algumas pessoas não tem caráter mesmo , o infeliz do pedreiro tá se aproveitando da situação que o marido esta pra tentar nos dar o cano...
Nota pra quem vai construir ou reformar , pedreiro é uma raça a parte no mundo , com prazo de validade e por quem vc não deve ter muita consideração , ou te-la na exata medida da reciprocidade.
Dentro do possível vou estar por aqui mostrando o que tenho tentado fazer nesse tempo.
Uma coisa é certo devemos sempre pensar em acessibilidade nas nossas casas.
Tô cortando um dobrado aqui com a enfermidade do marido.
Morramos num sobrado então ele tá na sala impossível subir a escada em curva com uma maca.
O lavabo é minúsculo uma cadeira higiênica não cabe lá .
Graças a Deus tenho portas de correr , senão não sei como ia colocar ele aqui dentro de casa e só consegui entrar com ele dando a volta na casa e entrando pela cozinha e olha que a porta da sala é larga mais esta num corredor estreito que não permite fazer curva.
E veja bem que as portas daqui são maiores pq a casa é antiga, caso contrario , não passaria nem uma cadeira de rodas
E ai? o que me dizem ? Vcs já pensaram nessas coisas antes ?
Euzinha nunca nem tinha aventado o uso desses equipamentos, e minha casa e acredito que muitas outras, não tem nenhuma infraestrutura pra isso.

bjs

7 comentários:

Margaret disse...

Mulher, que sufoco tu deve estar passando. Mas você é elastica e tenho certeza que ta dando conta do recado com louvor.
O importante é não desanimar e dar a volta por cima.
Pedreiro é uma raça complicada ne? Deve existir algum perfeito e se algum dia conhecer vou apresentar pra todo mundo.
Força na peruca, ja ja acaba toda essa agonia.
beijoca no marido e nos filhotes.

Livia Luzete disse...

Amábile,esses dias minha filha perguntou:"Mãe vc sabe como está o marido da Amábile?"
Éee ela é fã das ricardices e giovanices, e ela mesma entra no seu blog para ler e reler, então como nunca mais dei notícias..para vc ver...
Ainda bem que ele já está em casa e se recuperando.
Pois é flor, essa coisa da operacionalidade de uma casa num momento como esse...quem vai adivinhar??

Pedreiros?..MORTE ATÉ A EXTINÇÃO DESSA RAÇA
#prontofalei

Amanda disse...

Ai Amabile, sinceramente eu nunca parei para pensar nisto, mas na raça d pedreiros sim... vou começar a saga em breve de conviver com eles e espero não parir na frente de nenhum dlees, pq se for preciso eu pego pelo pescocinho,... rs
Brincadeiras a parte força na peruca e ótima recuperação do marido!!!

Adriana disse...

Olá Amábile,que barra hein! Mas lembre-se que Deus está sempre olhando por nós,que logo tudo se resolverá,primeiro a recuperação do seu marido,depois a sua reforma...
Amo seu blog visito sempre, primeira vez que comento.Que Deus abençoe voce sua familia.
Beijos!
Adriana.

Maria Lúcia disse...

Oi
Que situação menina.

Tudo na vida é assim,
tem gente boa e tem os melecas.
Beijos...
Lúcia.

Vanessa Porto disse...

Nossa Amábile!

Realmente amiga isso nunca passou pela minha cabeça, quanta coisa, quantos detalhes...
Pra mim pedreiro é igual a marceneiro, não cumprem o acordo, dão muitas dores de cabeça, aff.
Força ai tá? Continuo fazendo as minhas orações.

Isabel Cristina disse...

OI Amabile, que bom que o marido está se recuperando, o susto passou!

Olha , eu tive este problema quando meu pai sofreu um derrame e precisou de usar cadeiras de roda. Eu ainda era solteira e morávamos em uma casa em desnível com a rua, precisávamos subir dois lances compridos de escada para chegar ao portão e a rua. Enquanto meu pai estava no hospital se recuperando (mas ia ter que usar a cadeira para o resto da vida) tivemos que reformar toda a casa. aliás, mudamos de morada. No lugar das escadas fizemos rampa; despois, para facilitar, resolvemos reformar uma casinha ao nível da rua, alargamos as portas, colocamos corrimão no banheiro, quarto com espaço para acomodar uma cama de hospital, enfim, e mesmo assim ainda passamos dificuldades. Realmente, quando estamos com saúde não pensamos nestas coisas... Beijos

mais vistos